23 de set de 2010

Tratamento para Depressão - EMT

A Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva EMTr (repetitive Transcranial Magnetic Stimulation — rTMS) é uma nova técnica de abordagem e tratamento de desordens neuropsiquiátricas que permite a exploração, ativação ou inibição das funções cerebrais, de maneira segura, específica, não invasiva e indolor.
O método consiste em atingir o cérebro de forma dirigida, através de pulsos magnéticos sobre o crânio, os quais, atravessando os tecidos, geram uma fraca corrente elétrica capaz de provocar alterações na atividade das células nervosas.  A técnica é aprovada para uso clínico em diversos países, inclusive no Brasil, mostrando-se muito útil no tratamento da depressão.



É uma técnica moderna para o tratamento da depressão e de outras desordens psiquiátricas. É chamada de Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) (Transcranial Magnetic Stimulation) ou TMS.
A Estimulação Magnética Transcraniana vem sendo usada ao redor do mundo há anos e, no Brasil, desde 2000.
O método é indolor, não requer uso de medicações e é praticamente isento de efeitos colaterais. Consiste na colocação de uma bobina encostada à cabeça do paciente. Essa bobina emite pulsos magnéticos na região pré-frontal do cérebro que atravessam o crânio de forma semelhante à das ondas da Ressonância Magnética. Quando atingem o neurônio, esses pulsos disparam um impulso nervoso, que é transmitido a outros neurônios. O campo de ação é bastante focalizado. Por exemplo, quando a bobina é colocada próxima à área motora do cérebro, o impulso emitido provoca a movimentação dos músculos da parte do corpo referente à área estimulada. Por isso a Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) é uma das técnicas mais modernas: ela age diretamente na área afetada pela doença.
No caso da depressão e de alguns transtornos como o Obsessivo compulsivo, a área do cérebro estimulada é a pré-frontal dorsolateral. Os neurônios dessa região, ao serem atingidos pelos pulsos magnéticos, disparam impulsos nervosos para a liberação de neurotransmissores (serotonina, noradrenalina, dopamina, etc). Esta área, que se encontra com fluxo sanguíneo diminuído na depressão, volta a ter um funcionamento normal após o tratamento, o que pode ser constatado e visualizado com a técnica de Tomografia por Emissão de Fóton Único (SPECT).
O tratamento para a depressão requer em torno de 10 sessões em dias consecutivos, com duração de 40 minutos cada. O paciente pode vir desacompanhado pois não há nenhum comprometimento das funções cognitivas após a sessão. Ao contrário, geralmente uma sensação de bem-estar e de relaxamento segue-se à aplicação. O paciente permanece sentado e acordado durante todo o procedimento, ouvindo apenas um "clique" a cada pulso que é emitido.
O médico psiquiatra Dr. Roni Broder Cohen, especialista na área desde 1998, iniciou seus estudos com a aplicação dessa técnica na Universidade de Harvard, EUA, um dos mais importantes centros de estudo da Estimulação Magnética Transcraniana (EMT). Em outubro de 2000 trouxe o primeiro neuroestimulador ao Brasil. Desde então, ao redor de 300 pacientes já foram tratados com a Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) no Centro Brasileiro de Estimulação Magnética Trancraneana.
Os resultados terapêuticos têm sido bastante animadores e satisfatórios. A maioria dos pacientes, muitos dos quais com quadros graves e resistentes ao tratamento farmacológico, atingem a melhora clínica de maneira bastante rápida.


Informações mais detalhadas podem ser encontradas no site www.estimulacao.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

 

Fazer Mais Fácil Template by Ipietoon Cute Blog Design